sábado, 17 de janeiro de 2015

Partindo do Rio de Janeiro, rumo à Cabuçu, Queimados

No dia 13 de Dezembro de 2014, embarquei em uma excursão com alguns irmãos da Igreja rumo a Cabuçu, Queimados. Tal passeio tinha como objetivo fazer o encerramento da Escola Bíblica, e unir adolescentes e jovens em um dia de diversão. 

Confesso que entrei na Kombi, saindo do subúrbio da cidade do Rio de Janeiro, sem saber para onde exatamente eu estava indo, mas no decorrer do caminho descobri que a viagem seria para um lugar mais distante do que eu imaginava que fosse. 
Para mim estava ótimo, pois gosto de conhecer lugares novos. E o percurso revelou paisagens e lugares geograficamente diferentes de onde estou acostumado a viver. 

Saindo da famosa Avenida Brasil (gostaria muito que fosse famosa por coisas boas) na altura do bairro de Guadalupe, entramos na Rodovia Presidente Dutra; nacionalmente conhecida por ligar a cidade do Rio de Janeiro à São Paulo. A partir daí, passamos por diversos municípios do Estado, como São João de Meriti e Nova Iguaçu, por exemplo.

Imagem: Google Mapas/Reprodução

Depois que saímos da Rodovia Presidente Dutra, ou BR-116, na altura do município de Queimados, percorremos pela cidade em uma área ainda urbana, com casas e transportes circulando. Após alguns minutos, adentramos em uma área cercada por montanhas e vegetação. Tudo ali começava a parecer que tinha parado no tempo. A vizinhança tranquila anunciava que estávamos nos aproximando cada vez mais do interior.

O asfalto desapareceu dando lugar a estrada de terra. Estrada esta totalmente desnivelada, que fez com que todos que estavam na Kombi dançassem, no sentido figurado da palavra. Este é um dos diversos fatores que diferenciam aquela região do interior com a cidade.
Casas já não eram predominantes, mas sim a floresta e morros. Os animais passeavam soltos pela estrada, e a vizinhança do lugar é desproporcionalmente distribuída - ora víamos lotes de casas, ora somente floresta.

Dentre diversas espécies de árvores, uma que me chamou atenção pela espessura e grande altura foi a árvore de eucalipto. Havia muitas delas, como vocês podem ver na fotografia abaixo.
Originária de algumas ilhas da Oceania, a árvore chegou ao Brasil entre o final do século XIX e início do século XX, e foi estudada pelo Engenheiro Agrônomo Edmundo Navarro de Andrade .


Enquanto adentrávamos mais aquela estrada de terra, passamos por moradores que por sua vez - principalmente as crianças - acharam curioso a quantidade de carros circulando por lá. Visto que é uma área mais calma longe da cidade, a presença de muitos transportes como aqueles é algo raro. 
Observei que os moradores do local se deslocam mais de moto, à cavalo ou de bicicleta. 
Passamos por um ônibus com destino à cidade de Queimados, o que achei muito importante para a população de Cabuçu. 

Para resumo deste relato, chegamos ao sítio tão esperado. O lugar é lindo; com mais espécies de árvores, pedras raras, animais e um lago. Um lugar totalmente distante do movimento conturbado da cidade, onde quando falávamos podíamos escutar nossas vozes ecoando! 





O tempo ficou a todos os gostos, pois ora vez um bom sol para tomarmos banho de piscina, ora choveu e bastante. Na volta para a casa a chuva decidiu permanecer, e para sairmos de lá na estrada cheia de poças foi um pouco complicado, mas nada que tirasse a alegria que aquele passeio nos proporcionou.

Um grande abraço! 
Até a próxima,
Tiago Vieira.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário