quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Crescimento da População Mundial - Parte 1

Vivemos em um mundo com mais de sete bilhões de habitantes, conforme dados divulgados no ano de 2014 pela ONU. As estimativas são mais alarmantes para a próxima década, quando o número pode alcançar a marca de 8,1 bilhões de habitantes em 2025. 

Imagem: Google Imagens/Reprodução
A discussão em torno do crescimento vegetativo - diferença entre a taxa de natalidade e mortalidade -,  não é atual. Desde os primórdios da Primeira Revolução Industrial, datada no século XVIII, grupos e personalidades históricas apresentaram suas teorias a respeito do caso. 

Thomas Malthus foi um Economista, Pastor Anglicano e Professor nascido na Inglaterra em 1766. Foi educado em casa, e depois de formado na Universidade de Cambridge escreveu alguns textos; porém ficou conhecido após publicar "Ensaio do Princípio da População", em 1798, originalmente.
Na obra, Malthus expõe a estimativa de que a população mundial cresceria como uma progressão geométrica (2,4,8,...), enquanto que a produção de alimentos capaz de sustentar toda a população e mantê-la viva, cresceria como uma progressão aritmética (1,2,3,...). Ou seja: em dado momento, não haveria alimento suficiente para toda a gente do planeta. 

Malthus foi além, dizendo que as doenças existentes seriam uma ferramenta natural de estabilizar o crescimento mundial, e que o homem não teria controle sobre as mesmas. 

Não muito tempo depois da publicação do economista, percebeu-se que as preposições de Malthus estavam erradas. Com a Primeira Revolução Industrial, a produção de grãos pode ser intensificada com o incremento da tecnologia; ainda mais, a disseminação de hábitos de higiene e avanço na medicina, puderam controlar de forma significativa o acentuado número de mortes.
Porém, mesmo falhas, as pesquisas de Malthus e seu interesse no estudo do assunto proporcionaram o início do estudo da Demografia. Sendo assim, para alguns ele é considerado o pai deste campo de pesquisa geográfica.

Vale deixar claro aqui, que o crescimento demográfico e o avanço das tecnologias que podem proporcionar a manutenção de alimentos e "criação" de remédios para o bem da população, ocorre de maneiras diferentes em cada região do mundo. Por exemplo: as fases da transição demográfica no continente europeu, acontecem de forma diferente do continente africano, como veremos no próximo post.

Um abraço!
Tiago Vieira.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário